Praticar um esporte cotidianamente é uma ótima opção para quem quer levar uma vida saudável, e correr é uma boa escolha de modalidade, pois trabalha todo o corpo, previne problemas cardíacos e doenças respiratórios, além de ser um exercício com altas taxas de perda calórica.

Como dito antes, para participar das provas de meia maratona é essencial treinar com afinco algumas vezes por semana, portanto, essa assiduidade é que faz bem para saúde de quem corre. Como requer também hábitos moderados na alimentação, no uso de bebidas alcoólicas, boas noites de sono, a meia maratona torna-se um bom motivo para viver bem.

Muitos praticantes começam a treinar depois de algum tipo de problema de saúde por recomendação médica e com o tempo suas vidas se transformam. Praticar exercício libera endorfina no sangue, um hormônio capaz de aumentar a autoestima fazendo a pessoa ficar mais bem humorada e com maior disposição para correr mais. O que ajuda é o resultado que ela vai obtendo com o passar do tempo, músculos mais tonificados, maior disposição física e perda de peso são os principais.

Responsável pela prevenção de doenças cardíacas, é um dos maiores incentivadores para atletas amadores com mais de quarenta anos, essas pessoas por medo de ter ou reincidir ataques do coração começam a praticar a corrida e veem na meia maratona um desafio físico para vencer, assim como os problemas do coração. A recomendação é acompanhar os treinos de uma alimentação balanceada, que tenha calorias suficientes para repor a perda de energia durante os treinamentos e a prova.

Algumas pessoas se questionam sobre os riscos de sofrer ataques do coração durante as corridas, porém alguns especialistas alertam que a probabilidade disso acontecer é muito pequena, de apenas 0,0008%. Isso não quer dizer que não ocorre, em provas oficiais corredores de mais sessenta anos e também com menos de trinta já morreram de parada cardíaca, mas isso é devido a outros fatores e não a periculosidade do esporte, pois ele faz mais bem do que mal.

Um alerta importante é sobre alongamento muscular: antes e depois da corrida ele é obrigatório. Muitas lesões acabam acontecendo porque o atleta subestima a importância do alongamento e acaba não fazendo sempre, e por isso, os músculos, durante as corridas não adquirem a elasticidade que precisam e por serem forçados são lesionados, o que causa muita dor e um longo tempo de recuperação.

A hidratação do atleta é tão importante quanto sua alimentação. Se no meio da corrida o corpo estiver desidratado o desempenho cai, a velocidade vai diminuindo e se o quadro não for revertido a pessoa pode desmaiar. O que ocorre nas corridas de longa distâncias é que o corredor perde água e também nutrientes que são necessários no seu corpo. Por isso, muitas vezes só água não adianta, é preciso beber um tônico, que combina sais minerais com glicose junto ao líquido, repondo as energias perdidas na corrida. Mas essas energias também são repostas com uma alimentação bem balanceada.

Vê-se que os cuidados com a saúde não estão só na prática da corrida, mas antes e depois dela. Cuidar do corpo para ter uma boa disposição pede disciplina, como não usar certos tipos de substâncias, como tabaco e o álcool, por exemplo, que são muito prejudiciais e se atentar para tudo que pode melhorar a performance sem sobrecarregar o corpo nem causar dores ou qualquer problema.